Informações sobre a Água Termal de Gravatal

Fonte de Água Termal | Hotel Termas
Fonte de Água Termal | Hotel Termas

A água termal de Gravatal é excepcionalmente, uma das melhores do mundo. As propriedades terapêuticas das agua termal de Gravatal são indicadas para diversos tratamentos, como dermatoses, artrites, neurite e males dos nervos.

A Fonte

Termas do Gravatal possui três captações de água mineral, todas localizadas nas dependências do Hotel Termas do Gravatal. A primeira captação, denominada Fonte Tiradentes do Gravatá, foi construída em 1956 e remodelada em 1983. Trata-se de uma caixa de captação, construída sobre a surgência natural. Ela tem um reservatório de 857.000 litros. Está encravada sobre a rocha (brecha de falha) onde fluía naturalmente água mineral para a superfície. Ela tem aproximadamente 7 metros de profundidade. É toda construída em alvenaria revestida internamente com azulejos. Possui vários visores de vidro com esquadrias de alumínio anodizado. Possui também uma casa de proteção com uma sala de máquinas onde estão localizadas as bombas que abastecem toda a estância. Apresenta uma vazão máxima de 144m3/hora. Ou 3.456.000 litros/dia.
A segunda captação, denominada Fonte Dr. Hélio Agostinelli, nome este dado em homenagem ao pai do atual presidente da Cia, foi construída no ano de 2000 para suprir a produção de envase e também o abastecimento de condomínios. Trata-se de um poço com artesianismo natural (onde a água jorra espontaneamente para fora do poço). Tem uma profundidade de 27 metros e está encravado também dentro da falha (fenda) da rocha granítica. O poço apresenta uma vazão média de 80m3/h ou 672.000 litros/dia.
Uma terceira captação, em fase de construção, é um poço artesiano com 34metros de profundidade. Apresenta uma vazão fantástica de 230 m3/h, ou 5.520.000 litros /dia. Futuramente ajudará no abastecimento dos balneários dos hotéis da Estância. Esta captação localiza-se ao lado do poço em atividade, dentro do cercado de proteção.

Características da Água Termal

As principais características da água mineral de Gravatal são: A temperatura, mesotermal (35,1 o C), a escassez de sais minerais (oligomineral) e radioatividade na fonte (16,25 maches).
Ela é fluoretada, levemente hidrocarbonatada sódica, (bicarbonatada sódica) e litinada. As características físicas, físico-químicas e químicas da água são adquiridas durante a sua passagem pelas fraturas da rocha granítica encaixante.

Indicações Terapêuticas da Água Termal

Balneoterapia

  1. Reumatismos (fases de cronicidade e quiescência sintomática)
    a) artropatias crônicas degenerativas;
    b) reumatismo gotoso (banhos entre 32 e 34o C);
    c) reumatismo extra-articulares: fibrose (mialgias, miosites, tenossinovites, bursites, etc.).
  2. Estados congestivos e espasmódicos das vísceras abdominopélvicas.
  3. Varicosidade dos membros inferiores (pela pressão da massa hídrica do banho e estimulação circulatória).
  4. No pós-traumático e no pós-cirúrgico (especialmente ortopédico: mobilização e reeducação funcional).
  5. Seqüelas reumáticas crônicas (reeducação funcional).
  6. Dermatoses secas pruriginosas (ação sedativa, banhos indiferentes).
  7. Seqüelas de herpes zoster (algias pós zonosas).
  8. Estados emotivos.
  9. Hipertensão e hipotensão (a radioatividade é hipotensiva nos hipertensos e hipertensiva nos hipotensos).

 Uso Hidropínico

  1. Cura diurese (lavagens humoral, renal e hepática) provocando acentuada remoção de edemas e escórias orgânicas, com aumento da diurese líquida e sólida (catabólitos).
  2. Intoxicações hepatorrenais.
  3. Litíase do aparelho urinário e da vesícula biliar (tratamento preventivo no momento oportuno da medicação, com necessidade de diagnóstico clínico circunstanciado e controle radiográfico).
  4. Distúrbios provocados pelo ácido úrico.
  5. Glomerulonefrites não hidropigênicas (sem insuficiência renal).
  6. Aumento sangüíneo da uréia, colesterol e triglicerídios.
  7. Inflamações crônicas das vias urinárias: pelite e cistite (ações sedativas e descongestionantes).
  8. Síndromes alérgicas.
  9. Estado endotóxico da estafa.

Inaloterapia

  1. Rinites, especialmente alérgicas.
  2. Asma e processos asmatiformes.
  3. Afecções bronquiais crônicas (ação fluidificante das secreções e efeito anticatarral).
  4. Bronquite dos fumantes.

 Contra Indicações

  1. Via hidropínica e cura de diurese:
    a) cardíacos descompensados;
    b) hipertensão desequilibrada e grave;
    c) enfermidades hepáticas graves (cirrose, hepatomegalias);
    d) glomerulonefrites agudas;
    e) nefrites crônicas hidropigênicas;
    f) insuficiência uremigênica;
    g) albuminúrias superiores a 3%;
    h) afecções que dificultam a eliminação da urina (malformações, hipertrofia da próstata);
    i) carcinomas, especialmente dos aparelhos digestivo e urinário.

 Técnicas de Administração (Modo de Usar)

As técnicas de administração das águas minerais radioativas são:

  • A Inaloterapia (inalação, nebulização);

A mucosa respiratória constitui a via mais fácil para administrar a água radioativa. O tempo de aplicação na inaloterapia varia de 15 a 60 minutos, de acordo com a tolerância e a resposta obtida. Em média efetuam-se vinte sessões, uma por dia, depois repousos de 15 a 20 minutos. Os métodos empregados na inaloterapia constam à pulverização, a vaporização e a nebulização da água mineral. O usuário inala os vapores ou névoas, de água mineral produzidos artificialmente, através de vaporizadores e/ou nebulizadores.

  • O uso Hidropínico (ingestão);

Cura radioativa. Para a cura radioativa as águas devem ser ministradas na quantidade de 600 a 1.200 ml por dia, em doses fracionadas (100 a 200 ml), depois das refeições. As substâncias gordurosas da alimentação retém os gases radioativos, prolongando assim a sua ação. Evitar dose noturna considerando-se o efeito diurético.
Cura de diurese. A ação diurética é fato comprovado e aceito nas águas radioativas. O volume diário de água a ser ministrado é o mesmo que foi eliminado na véspera, e assim ir subindo pouco a pouco.

  • A Balneoterapia (banhos de imersão)

Os banhos de imersão constituem processos eficazes para a absorção dos gases radioativos, principalmente pela pele. Sendo a penetração radiônica rápida, a duração dos banhos deve ser de 16 a 60 minutos, em temperatura de 32 a 35oC. O tratamento deve ser de 3 à 6 semanas, com o mínimo de 21 e no máximo de 40 banhos, tomados diariamente uma vez por dia. É recomendável respirar bem perto da superfície da água para melhor absorção dos gases radioativos. Após o banho fazer repouso de uma hora.

  • Emanoterapia

Junto com a água mineral sobem gases, também chamados de emanações gasosas.
Estes gases radioativos ou emanações gasosas, também pode ser respirado diretamente na fonte (emanoterapia) ou em seus arredores (hidroclimatologia). O usuário andando nos arredores das fontes termais, ou seja, no pátio do Hotel Termas já esta respirando gases (emanações) sem perceber.